O ecossistema dos canais de distribuição de conteúdo

O ecossistema dos canais de distribuição de conteúdo
Fonte com Autorização startup101

A convergência dos meios forçou uma redefinição radical dos papéis dos canais estratégicos e táticos utilizados para a distribuição e promoção de conteúdo de empresas e marcas.

A programação para cada canal é agora dispersa e ineficaz e, dada a proliferação dos canais, demasiados e caros para serem sustentados. Para isso, você precisa desenvolver um ecossistema de canais com base na estratégia global de marketing de conteúdo e avaliar cada canal baseado na cobertura de papel tático.

Para simplificar (mas estará de volta sobre o assunto) identifico três categorias principais para colocar os vários canais de acordo com a sua finalidade funcional:

Canais Proprietários (Owned)

A partir do site corporativo clássico, através de sites de produtos, blog corporativo, iniciativas especiais, para sites de comércio eletrônico e comunidade de marca, definimos os canais de propriedade, todos os diretores da empresa tem total controle e técnica funcional e ele entra em contato com seus clientes e prospects.

A explosão de usuários em redes sociais, Facebook, em particular, tem muitas vezes dado atenção demais a esse canal; já os sites os sites de e-commerce, onde a conversão continua a ser uma prioridade, os usuários ainda continua tendo poder sobre o carrinho. Apenas um canal do qual não temos o “total” gerenciamento completo que pode definir atividades estratégicas e táticas que visam a criação de um forte relacionamento com nossos clientes e, acima de tudo, para se certificar de que a perspectiva também virá por parte de nossos clientes.

O marketing de conteúdo é fundamental para o desenvolvimento dessas atividades e é a única arma que temos para oferecer aos usuários, uma experiência capaz de ganhar a sua atenção é cada vez mais valioso.

Canais gerenciados (Paid)

Estar presente nos principais canais sociais é importante para uma marca, mas também muitas vezes as expectativas de conversão não são cumpridas. Em particular, o Facebook tem provado ser umINVESTIMENTO muito frequentemente superestimado se levarmos em conta que hoje é preciso investir dinheiro para criar um público quantitativo e qualitativamente adequado e, por isso, cada vez mais evidente , hoje percebemos que também é necessário pagar generosamente para ver o nosso conteúdo para o mesmo público que adquirimos.

Substancialmente por esta razão que considero os canais sociais como canais pagos a partir do ponto de vista do marketing de conteúdo, como os de uma editora paraINVESTIR em campanhas de anúncios gráficos clássicos ou publicidade nativa. Nós, então, usamos os canais sociais para promover e gerar tráfego para os nossos canais de propriedade através tarefa cuidadosa de provocação.

Canais de relacionamento

Ao invés deINVESTIR orçamento em promover o conteúdo é mais desejável aproveitar a grande oportunidade que nos oferece uma rede social para interceptar conversas e usuários que podem estar interessados ​​no conteúdo que temos produzido.

Não é apenas promover nosso conteúdo para as pessoas que naquele preciso momento estão falando sobre isso, mas se nós realmente produzirmos conteúdo de qualidade, ganharemos a aprovação como peritos autorizados. Vamos voltar para essa discussão, quando falamos sobre o marketing em tempo real.

ecossitema-social

Portanto, é evidente que, se o primeiro não funcionar a estratégia de marketing de conteúdo vai ser muito complexa para organizar um ecossistema adequado dos canais e da maneira mais eficaz para cumprir o papel a ser desempenhado.



Vamos tomar um café?

Gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre a sua empresa e, assim, propormos as melhores estratégias de marketing digital. Aumente seu volume de negócios, conte com a gente!


Whatsapp (19) 9 9958-8021