Ninguém sabe qual o tamanho real do mercado de mensagens instantâneas em celulares

Fernando Paiva

A compra do WhatsApp por US$ 19 bilhões pelo Facebook escancarou as divergências entre as consultorias e empresas de pesquisa internacionais quando o assunto é medir o tamanho do mercado mundial de mensagens instantâneas. Ninguém sabe ao certo o volume de mensagens trocadas no mundo. Quando comparadas as projeções, os números variam ainda mais. A Analysys Mason, por exemplo, fala em 10 trilhões de mensagens instantâneas de serviços OTT enviadas por dispositivos móveis no ano passado no mundo. Esse volume dobraria este ano, chegando a 20 trilhões, e alcançaria 37,8 trilhões e, 2018. A Ovum, por sua vez, tem estimativas muito diferentes: afirma que foram 27,4 trilhões em 2013 e que chegaremos a 68,9 trilhões este ano. E a Juniper, por fim, projeta 84 milhões em 2018 (incluindo SMS), dos quais 75% seriam mensagens de OTT, o que daria 63 milhões: menos do que a Ovum prevê para 2014.

Mas por que é tão difícil calcular isso? Porque poucas empresas abrem seus números. O que se tem de concreto, na verdade, são os dados apresentados pelo próprio WhatsApp. Em junho passado, o WhatsApp comemorou ter atingido a marca de 10 bilhões de mensagens trocadas por dia. Isso daria 3,65 trilhões por ano. Só que a utilização vem crescendo mês a mês, graças ao boca a boca e também à rápida popularização de smartphones no mundo. Assim, o tráfego diário do WhatsApp chegou a 18 bilhões em janeiro, o que daria 6,5 trilhões em um ano, se o tráfego estacionasse por aí, o que não vai acontecer.

Para estimar o tamanho do mercado mundial, é preciso saber qual é o market share do WhatsApp. Esta é a parte mais difícil. A Analysys Mason estima em 45%. Mas como chegou a esse número? Há vários outros serviços de mensagens instantâneas. Para entender os cálculos de cada consultoria seria preciso saber quais deles foram considerados. Há desde aqueles mais conhecidos (WeChat, Line, Kakao Talk etc) até vários de pequeno porte, como o MyEnigma, da suíça Qnective, que oferece chat móvel gratuito criptografado. Para complicar a conta, alguns misturam web e celular, como Google Hangouts, Skype e Facebook Messenger. Todas as mensagens do Hangouts, por exemplo, são computadas, mesmo quando escritas e lidas em PCs? Ou somente aquelas que forem escritas e/ou lidas em um dispositivo móvel? Alguém conseguiria estimar essa proporção?

Mapa dos OTTs

Dentre os dados divulgados mundo afora sobre o tema, merece destaque o mapa acima, criado pela AppAnnie com base em informações reais rastreadas de aplicativos móveis e lojas de aplicativos. Nele, é mostrado o app de comunicação OTT líder em diversos mercados. Foram computados apenas aqueles países onde a AppAnnie conseguira coletar uma quantidade estatisticamente confiável de informações. Fica clara uma disputa entre WhatsApp e Skype no Ocidente, enquanto Line, WeChat e Kakao dominam o Oriente.

Fonte: Mobile Time



Vamos tomar um café?

Gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre a sua empresa e, assim, propormos as melhores estratégias de marketing digital. Aumente seu volume de negócios, conte com a gente!


Whatsapp (19) 9 9958-8021